Teoria x mão na massa


Teoria é sempre válida, desde que a prática aconteça.

Quem nunca desenvolveu um projeto super legal, com resultados surpreendentes, aí vem aquela "dra fulana de tal" e pergunta : sob qual teoria seu projeto está embasado? 

Coisas assim são muito comuns no universo escolar. Sempre tem aqueles senhores e senhoras sabe tudo que valorizam absurdamente as teorias, veneram as teorias, carregam as teorias por tantos anos que elas caducam.

Vygotsky, Piaget, Wallon, entre tantos outros teóricos contribuiram e contituam contribuindo com a educação. O problema é se fechar neles. O problema é fazer deles uma religião. O problema é não contextualizar. O problema é não fazer acontecer.

Estou cansada de ver palestrantes vomitando teorias em sua linguagem "acadêmica" sem ter a mínima preocupação em se fazer entendidos.


Parece que alguns eventos de educação ainda servem só pra alimentar o ego do mundinho da academia.

Gosto de falar pro professor real, do dia-a-dia, dos dilemas reais, das salas lotadas, da indisciplina, desinteresse. Isto sim preocupa o professor. Gosto de estudar o mundo, a vida, as conexões reais, o futuro.

Gosto também de ler Vygotsky, Piaget e Pappert. Aprendo com eles, mas o que me move é o futuro. Ao aplicar suas teorias preciso contextualizar, considerar a época em que vivo e extrair delas o que é pra sempre.

A maneira como as pessoas aprendem hoje é muito mais dinâmica e complexa, e o que está realmente fazendo a diferença é aquele pessoal do "mão na massa", que vai lá e faz.

Hoje a cultura maker - essa nova mentalidade de experimentar, prototipar e criar está totalmente acontecendo por ai, porque é isso que realmente dá resultado.

O ponto é: estude grandes teóricos sim, mas acima de tudo faça você mesmo o que tem que ser feito. Fique de olho no mundo, nas novidades, na vida. Não desconecte da vida.

Você tem uma experiência que deu certo? Passe adiante, compartilhe, contribua.

Você é um estudioso? gosta de escrever? Escreva suas reflexões, publique na internet.

Isto é educação mão na massa! É não esperar sentado. É não achar que só na academia as coisas tem valor. É ouvir o que vai realmente te trazer aprendizado...e pode ser o seu colega professor, o diretor do colégio vizinho, a professora alfabetizadora que todo mundo fala dela. Não importa. 

Ouça quem fala e faz!

Quem nunca foi a uma palestra, seminário de educação com um "dr. fulano de tal" e saiu de lá do mesmo jeito que entrou...era só teoria desconectada da realidade? Eu já, mas já desisti disso. 

Hoje sigo pessoas que realmente admiro pelo que pensam, produzem e fazem.

Débora Aquino - Educação Criativa