Personalização do ensino é o futuro da educação


Por muito tempo o ensino formal foi padronizado e mecânico. Em uma turma de mais de 30 alunos , todos tinham a tarefa de aprender da mesma forma.

É claro, só alguns se davam bem. E se dar bem na escola estava mais relacionado a se encaixar naquele modelo do que no potencial individual.

Perfis metódicos e ouvintes sempre foram vistos como "bons alunos" justamente por este motivo.

Mas onde se encaixam os perfis autodidatas e experimentais?



Veja mais sobre perfis de aprendizagem neste link clique aqui


Estes dois últimos se caracterizam por ser pessoas que aprendem de forma dinâmica, criativa e prática. São geralmente alunos que por não se encaixar no modelo "sala arrumada em filas, professor falando e aluno escutando", acabam por sua inquietude e falta de motivação incomodando os demais.

A tendência da educação do futuro é personalizar o aprendizado. Cada um tem seu jeito próprio de aprender e isto deve ser respeitado.


Agindo de forma natural aprendemos melhor. É assim na vida, e na escola não pode ser diferente.

A escola não pode ser uma bolha separada da realidade. Nossa realidade está em constante mudança. As relações não acontecem com a mesma dinâmica que antigamente, e ao observarmos o modelo escolar percebemos que ele está na contramão das mudanças sociais.


É um movimento que não tem volta e oferecer resistência não ajuda em nada. O primeiro a tomar consciência disto deve ser o professor. Perceber que nada mais acontece à força ou sem um objetivo claro.

No modo de vida atual não existe espaço para atividades irrelevantes. O volume  de informações hoje é 1000 vezes maior e não há tempo a perder.

O ensino personalizado atende necessidades individuais e promove o crescimento, além de deixar claro que não temos que ser iguais, todos podem e conseguem aprender.



Respeito e autonomia são os maiores ganhos nesta proposta.

Débora Aquino - Educação Criativa

Comentários

instagram @deh_aquino_atelie